Artezanato Self Storage

Nas mãos de um bom artesão aquela garrafa pet, o pedaço de madeira, papel e uma infinidade de materiais se transformam em utilitários, objetos de decoração e diferentes outros elementos que podem ser comercializados facilmente.A atividade está intimamente ligada à realização pessoal e, em tempos de crise, se apresenta como uma solução simples e barata para quem quer empreender, seja para complementar a renda ou mudar de profissão.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor, que integra a chamada Economia Criativa, emprega cerca de 8,5 milhões de brasileiros e movimenta mais de R$ 50 bilhões por ano em todo Brasil. O artesanato é, muitas vezes, a principal fonte de renda de muitas famílias.

Para começar nessa atividade, é necessário um espaço para ser seu ateliê. O artesão é responsável por todo processo construtivo, desde a preparação da matéria-prima até a elaboração final da peça. Para comercializá-la, o empreendedor pode recorrer ao e-commerce, vender de porta em porta ou mesmo em lojas físicas (próprias ou não). O uso de redes sociais para divulgação é essencial.

O setor artesanal, em grande parte, utiliza insumos naturais de baixo custo, como madeira e fibras naturais. Além disso, o artesanato promove o resgate cultural e fortalece a identidade regional.

A atividade autônoma também pode ser regulamentada e profissionalizada. Artesãos de todo o país podem se formalizar como Microempreendedor Individual (MEI) para garantir o acesso a benefícios previdenciários, como auxílio-doença, auxílio-maternidade e aposentadoria. Além disso, o artesão MEI pode circular livremente com a sua mercadoria, sem o risco de seu produto ser apreendido e ser multado pela fiscalização.

É importante, também, estar atento a legislação. A profissão de artesão foi regulamentada com a publicação da Lei nº 13.180, que estabelece diretrizes para as políticas públicas de fomento à profissão, institui a carteira profissional para a categoria e autoriza o poder Executivo a oferecer todo o suporte profissional necessário.

O armazenamento da matéria-prima pode ser um fator de atenção e atrapalhar o artesão-empreendedor, especialmente aquele que não disponha de espaço físico amplo em seu ateliê – e convenhamos, criar em um ambiente caótico e entulhado é muito mais difícil. Para ajudar com isso, o GuardeAqui aluga espaços que funcionam para esse propósito a um preço justo. Apenas o empreendedor tem acesso ao box locado e é possível organizar todos os produtos em ambiente arejado, limpo, claroe seguro, sem ter ainda os custos de IPTU, água e luz.

Seja por realização pessoal, aumento da renda ou para promover a cultura regional, o artesanato é um segmento que cresce no Brasil mesmo em meio a crises econômicas e o GuardeAqui é uma solução eficiente e de baixo custo para quem deseja empreender nesse setor. Saiba mais em www.guardeaqui.com

Voltar ao Blog